domingo, maio 29, 2016

A justificativa do estupro e o vitimismo


Quando uma juíza responsável por casos de violência contra a mulher foi atacada por um homem, fãs de Bolsonaro, esquecendo completamente qualquer tipo de sentimento humano, usaram o caso politicamente, primeiro insinuando que o agressor era de esquerda, depois insinuando que a juíza merecia ser atacada por atuar na questão da violência contra a mulher - segundo eles, uma bandeira da esquerda. 
Agora, enquanto o Brasil inteiro se comove com o caso da menina de 16 anos violentada por 30 homens, um fã de Bolsonaro, desenhista de quadrinhos, tenta usar o caso politicamente afirmando que os homens não podem ser presos porque segundo a ideologia de gênero eles são mulheres e, portanto, não podem estuprar uma mulher (se você conseguir entender algo desse raciocínio, me avise) revelando uma total falta de compaixão pelo próximo e, de certa forma, justificando o estupro, que, segundo ele, teria acontecido por causa da ideologia de gênero (como diria o Didi: Acuma?).
Depois da declaração maluca e polêmica, o desenhista perde o contrato com o estúdio que agenciava seus trabalhos para os EUA. E se diz perseguido pelos esquerdistas, num típico vitimismo bolsonete.
Uma sociedade civilizada suportar nenhum tipo de justificativa ao estupro ou que alguém use a violência sexual contra uma garota de 16 anos como justificativa para suas crenças ideológicas extremistas.
Se um esquerdista estivesse por aí propondo que mulheres burguesas fosse violentadas devia ser igualmente execrado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.