domingo, fevereiro 01, 2015

Revelações bombásticas sobre o Capitão Gralha e Francisco Irwenten

Como complemento ao vídeo:
Francisco Iwerten e o Capitão Gralha surgiram em 1997, num texto escrito por mim na revista Metal Pesado Curitiba. O texto tinha imagem de uma suposta capa do primeiro número do gibi do Capitão e uma página interna, ambas desenhadas por José Aguiar a partir de visual bolado por Edson Kohatsu. A história toda provavelmente surgiu numa conversa num café da tarde entre eu, José Aguiar e Antonio Eder e teve sua origem na ideia de "matar" Antonio Eder (baseada numa história de Mark Twain sobre pintores que fingem o falecimento de um deles para ficarem ricos). Como Antonio descartou a possibilidade de morrer, a ideia foi provavelmente resgatada através de Iwerten. Mesmo assim, tanto Iwerten quanto o Capitão Gralha era, na verdade, elementos para dar verossimilhança e um background ao herói O gralha.
Contudo, a história ganhou vida própria. Em 1998 o personagem começou a ser publicado no jornal A Gazeta, de Curitiba e a matéria sobre o assunto destacava o Capitão Gralha. Com a internet, a história se alastrou ainda mais, até chegar o ano de 2006, quando Iwerten ganhou o prêmio Ângelo Agostini. Uma parte dos 9 criadores era favorável a contar a história e outra parte, maior, acreditava que a história sumiria se não se falasse mais nela. Em 2014 uma escola de samba, a camisa 10, de São Paulo, escolheu Iwerten como tema, o que foi um dos fatores que levaram à revelação da verdade, na Gibicon 2.
Coloco abaixo a matéria original, publicada na revista Metal Pesado, de 1997:



Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.